18°/28°

Divinópolis,
19/JAN/2017

Especialistas em roubo e receptação de veículos são presos pela polícia em Pompéu

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
  • Notícia
11/09/2014 15:48 | Atualizado em 11/09/2014 17:15
Carro encontrado com os presos estava carregado com peças de outros veículos. (Créditos: EM.com.br)
Carro encontrado com os presos estava carregado com peças de outros veículos. (Créditos: EM.com.br)
Dois especialistas em roubos e receptação de veículos foram presos e apresentados pela Polícia Civil na manhã desta quinta-feira pela Delegacia Especializada do Detran, no Barro Preto, Região Centro-Sul da Capital. Pedro Oliveira dos Santos, 55 anos, apontado como um dos maiores receptadores de veículos de Belo Horizonte e Hudson Antonio Oliveira dos Santos, 26, vulgo %u201CSherek%u201D, que tinha mandado de prisão aberto por envolvimento com roubo de carros na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) foram encaminhados para o Presídio de Pompeu.

As investigações da 3° Delegacia Especializada em Investigação a Furtos e Roubos de Veículos Automotores começaram em outubro de 2013, quando a Polícia Militar encontrou um desmanche de carros na Vila Clóris, Região Norte de BH. Segundo a polícia, a ação criminosa acontecia na casa de Pedro, e apenas a sua esposa foi presa, já que o dono do imóvel não se encontrava no local. Depois deste registro, os policiais civis seguiram a investigação para encontrar outros responsáveis pelo desmanche.

Também em Pompeu, Hudson Antonio Oliveira dos Santos foi preso. Ele já vinha sendo monitorado pela polícia por cometer inúmeros roubos de veículos na UFMG, em Belo Horizonte. Ainda foram recuperados dois carros com registro de furto e roubo, além de diversas peças de automóveis sem origem comprovada. %u201CAcreditamos que eles desmanchavam muitos carros por semana, mas depois da primeira investida da polícia, em março de 2013, eles reduziram as atividades ilícitas, e violavam quatro ou cinco carros por semana%u201D, disse o delegado.

As investigações terão sequência, pois a polícia acredita que outras pessoas possam ter envolvimento com o grupo. Segundo o delegado, donos de ferro-velho podem ser contribuintes do esquema. Eles recebiam as peças dos carros roubados para revender. Se condenados, os dois presos podem cumprir de 3 a 8 anos em regime fechado, pelo crime de receptação qualificada. Além disso, eles serão julgados por roubo, e neste caso, o número de veículos será levado em consideração.


Fonte: Estado de Minas / em.com.br
  • Redes Sociais
  • TV Alterosa