ALTEROSA ESPORTE

Atlético dá novo vexame, desta vez no Mineirão

Treinador novo? Ok. Time rejuvenescido? Ok. Estreia no Mineirão? Ok. Tudo perfeito em um mundo hipotético, porque no mundo real nada está bom. Os artistas não mostram os resultados esperados, nem mesmo a mudança de palco, já pensando no confronto do meio de semana, nem mesmo a apresentação de um antigo amuleto deu a sorte que o Atlético precisava. Aliás sorte não, competência. Foram 30 finalizações e 17 chegaram ao gol da Veterana e só uma entrou, aos 13 minutos, Igor Rabelo fez, mas foi só o gol de empate e já no segundo tempo da partida. Com menos finalizações e muito mais efetividade, a Caldense abriu o placar, antes mesmo da metade do primeiro tempo, aos 18 minutos, Marquinhos falha duas vezes. A primeira: tentou tirar a bola e jogou para própria área. A segunda: fez pênalti bobo em Marcos Damasceno. O capitão Felipe Souza bateu e fez. Com sabedoria a Veterana viu o Atlético nervoso após o gol sofrido, atacou e contra-atacou mas o gol não veio. O destino esperou até os 44 minutos da segunda parte, João Victor, aproveitou mais uma falha, desta vez de Zé Wellison. Dos 90 minutos, 70 minutos foram de total domínio atleticano. Domínio sem eficiência e deficiente de gols. Tardelli voltou, mas já avisou “Não sou eu que vou salvar o Atlético, não faço milagres”. A pergunta é, a qual santo a torcida tem de recorrer para o Atlético voltar ao caminho das vitórias?

17 de fevereiro de 2020

NOSSOS PROGRAMAS

VER MAIS

DEIXE SEU COMENTÁRIO